terça-feira, 31 de março de 2009

RE-SENTIMENTO

A estrada da nossa vida...

Convido você a contemplar a sua vida como se ela fosse uma longa estrada...tão longa que os nossos olhos não alcançam o seu fim. Existem belos trechos, adornados de lindas flores, com recantos para o repouso...trechos com curvas fechadas e muitas pedras no caminho.
Passamos por estradas em declive, onde todo cuidado é pouco, encostas perigosas...também existem momentos em que temos que escalar montanhas, tempo em que os nossos olhos conseguem ver além...além dos problemas, das fadigas diárias. O tempo é instável, temos dias ensolaradados e dias de tempestades...a temperatura nem sempre é agradável, mas o caminhar se faz necessário a cada dia.


Somos peregrinos nessa jornada...


Agora vamos pensar sobre como caminhamos por essa estrada...temos uma bagagem, melhor ainda, uma mochila nas costas. E o que será que estamos carregando? Serão coisas essenciais a nossa sobrevivência e a nossa felicidade? Ou será que estamos carregados de entulhos desnecessários?
Cuidado!! A bagagem pode estar tão pesada que nos impede de ver a beleza do caminho e chega a impedir que escalemos os montes e vislumbremos as novas possibilidades e os novos horizontes. Como está o seu caminhar nessa santa peregrinação? Não sei você, mas eu venho percebendo que minha bagagem anda pesada!! E isso não está certo...algo tem que ser modificado!!
A vida clama pela nossa leveza!! Quando a nossa mochila está leve, caminhamos a passos largos e firmes...tudo fica mais bonito. Entretanto, na maior parte do tempo, os entulhos carregam a nossa vida, ficamos pesados e passamos a caminhar com dificuldades, vagarosamente. Corremos o risco até de ficar paralisados no tempo e no espaço...sem entender o porquê disso tudo acontecer bem com a gente.


Eu venho percebendo os meus entulhos...


Você já parou para ouvir o quanto reclamamos e murmuramos no decorrer de um dia em nossa vida? Especialmente quando o assunto são as diferenças existentes entre nós, seres humanos cheios de imperfeições. É aí que corremos o risco de transformar as diferenças em indiferenças e a nossa alma vai ficando pequena...tão pequena e tão triste...
Como é difícil aceitar o outro como ele é. A minha expectativa frustrada sobre a vida dos que me acompanham nessa peregrinação acaba por gerar a irritação e, até mesmo, a ira. Então, eu me descubro tão impregnada de excessos...excessos de re-sentimentos. Sinto hoje, re-sinto amanhã, depois de amanhã e vou re-sentindo por toda uma vida. Quanta perda de tempo!!!
Como dizia o Pe Léo, o coração parece até um velho aparelho de DVD com o filme da vida, onde eu assisto repetidas vezes aqueles momentos de maior sofrimento, quando fui alcançada por sentimentos de exclusão, de maldade...quando fui rejeitada e atingida pelo desamor do outro.
O ressentimento é a porta de entrada para todo o mal, é carunchu da alma que fica corroída... cria o inferno em nós, recria a desinfelicidade, gera o rancor e a raiva. E cada vez que a raiva domina, o meu ser fica “emburrecido” (Pe Fábio de Melo). A raiva me faz falar imbecilidades e acabo “pisando na bola”, machucando aqueles que estão comigo em meu caminhar.
Diante de tantos desafetos: não amo, não sou amada e espalho a infelicidade para tudo e todos os que estão próximos a mim...quanta confusão!!


Descobrindo formas de me livrar dos meus re-sentimentos...


Venho buscando ser contemplativa em tudo o que me acontece. Hoje, tenho pouca pressa em responder aos apelos do mundo, às provocações humanas. Almejo olhos de ver além das aparências, ouvidos de ouvir o que não é falado...busco a profundidade, sentir e saborear cada momento, seja ele de alegria ou de tristeza e conflitos. Tudo que é humano me emociona. Vislumbro novos horizontes no improvável... naquilo que normalmente meu coração rejeitaria, me coloco a acreditar.
Assim, o cotidiano ganha um novo sentido no meu peregrinar...esse é um exercício espiritual diário que a todo instante me desafia: transcender, olhar além. Eu te convido a fazer esse exercício todos os dias de sua vida. Mas, para isso, o grande segredo é estabelecer uma parceria...a melhor de todas!! É preciso clamar pelo Espírito de Amor do nosso Criador para tudo ser transformado, a começar pelo seu coração!! Eu estou a caminho...ainda tenho muita estrada a trilhar...
Precisamos expandir a nossa alma, buscar a leveza e amar!!! Mas chega de discursos sobre o amor! Precisamos VIVER O AMOR em todos os trechos da peregrinação da nossa vida!! A promessa de Deus não é a ausência de lutas e problemas, mas SIM a Sua presença paterna nos iluminando a todo o momento e trazendo o alento necessário na labuta diária.
Devemos revestir o nosso coração com as marcas de Deus, deixar a mansidão e a paciência preencherem a nossa alma. Somente assim acontecerá o milagre da multiplicação do amor. Afinal, o que você tanto espera do outro, ele também espera de você!!


Re-sentindo só amor!!!

O meu olhar contemplativo me traz serenidade
Tempo de suavidade com aroma de maçã e canela
Sensibilidade que me faz levitar em mais um entardecer
A vida quer a minha leveza...e eu também
Trago em minha alma o desejo de te ver feliz
E no olhar vagaroso a sede de eternidade...
...Eternidade aqui, hoje e agora,
quando a minha alma clama por re-sentir somente o amor!!!


Que Deus nos abençoe nessa jornada!!

Fátima Regina

2 comentários:

Silvia disse...

Olá profª, muito legal aqui. Obrigada por enviar por e-mail. Beijos,
Silvia F. Chadi

Andrea Inforzato disse...

Olá querida Fátima...
Adorei as reflexões, você é "danada" com as palavras, tem o coração na ponta do lápis.
Um grande beijo e minha admiração,
Andrea Inforzato